O Projeto

     Quantas espécies poderíamos encontrar vivendo livres dentro do território macaense? Como venho coletando informações sobre nossas aves desde 2007, procurei desenvolver este trabalho de nome “PROJETO AVES DE MACAÉ” para ajudar a responder essa pergunta e também ao perceber a ausência de trabalhos científicos sobre a avifauna local de forma mais abrangente. Desde então foram incontáveis saídas de campo em muitas áreas do município, o que vem me proporcionando estudar a dinâmica e a ecologia de cada espécie em seu ambiente natural.

     Todos os registros são documentados em planilha de modo que cada espécie tenha um histórico próprio. Essas informações permitem acompanhar a movimentação de cada uma delas - principalmente as mais raras e ameaçadas -, mostrando seus locais de ocorrência, período do ano em que foram vistas, além de importantes detalhes como interações, alimentação, nidificação e etc.
Para a parte dos registros pontuais, pude contar também com dados inestimáveis feitos por outros parceiros (fotógrafos, observadores de aves e pesquisadores) disponibilizados no site Wiki Aves (www.wikiaves.com.br), possibilitando uma maior riqueza de informações. Trata-se de um trabalho de pesquisa de modo contínuo, uma vez que há muitas áreas a serem percorridas, revisitadas e novas informações e registros ocorrem constantemente.

     As pesquisas ocorrem em todas as localidades do município, que conta com importantes ecossistemas como zonas costeiras, ilhas, restingas, lagoas, alagadiços, manguezais e áreas remanescentes de Mata Atlântica. Estes habitats apresentam suas populações de aves residentes e também aquelas que de acordo com a sazonalidade, utilizam-na como área de descanso e alimentação quando de seu deslocamento migratório.




- OBJETIVOS
     O resultado desse trabalho tem os seguintes objetivos:

- conhecer e mostrar a riqueza e a diversidade de espécies existentes na cidade;
- monitorar através de planilhas as populações de aves de menor incidência, raras e/ou ameaçadas;
- servir como contribuição ao conhecimento ornitológico da região, criando um banco de dados com registros sonoros e fotográficos, auxiliando em estudos e pesquisas futuras;
- estimular proprietários rurais e o poder público para a necessidade da preservação dos diversos ambientes para a permanência dessas espécies;
- servir de iniciação da educação ambiental para as crianças e adultos, despertando o interesse pela preservação;
- divulgar a cidade de Macaé como importante local de preservação e próprio para observação de aves, atraindo potenciais visitantes.



- A LOGOMARCA
     Para a criação da logomarca utilizei uma tipologia única em tons de verde e que pudesse transmitir leveza, como ocorre com a grande maioria das aves em voo. Como símbolo, utilizei uma de minhas fotos de uma Saracura-sanã (Pardirallus nigricans) para ser vetorizada e representar a rica avifauna do município.





- PARCEIROS

     Obrigado a todos que compartilharam seus registros da avifauna de Macaé no Wiki Aves, não importando o objetivo pessoal de cada um. Seja um observador de aves, um fotógrafo amador, profissional ou pesquisador, seja visitante ou morador da cidade, cada informação é importante para o levantamento das aves e conhecimento da dinâmica de cada espécie. Agradeço à Felipe Barreto pela parceria e dedicação nas inúmeras incursões e perrengues pelas matas macaenses; Rogério Peccioli e Romulo Campos, talentosos fotógrafos de natureza, sempre atentos e com o olhar voltado para a natureza da cidade; Paulo Noronha, Alexandre Bretz, Luana Miranda, Marcello Loureiro, Fabio Patiu, Marília Olio, Hamilton Cardoso, Guilherme Barreto, Gilmar Leal, Itamar Glicério, Jefferson Rodrigues, Rafael Mussi, Alexandre Mendes e aos ilustres visitantes Gabriel e Daniel Mello, Normando Rodrigues, Guto Balieiro, João Quental, Lúcia Rogers, Wilfred Rogers, Rafael Bessa, Aisse Gaertner, Guilherme Serpa, Bruno Rennó e Eduardo Schultz.



- SOBRE O AUTOR
     Nasci em Itaperuna.RJ e as aves fazem parte de minha vida desde a infância, onde meu pai as tinha em casa e por conta disso cresci com esse hábito de tê-las em gaiola. Adolescente e morando em Macaé, me recordo das idas à casa do saudoso “Seu Vinícius”, um simpático senhor septuagenário que ao lado de sua esposa, Dona Conceição, moravam no bairro de Imbetiba e tinha muitas aves e sempre muita história para nos contar. Lembro também do pequeno grupo de amigos indo caçar passarinho na Virgem Santa de bicicleta... Já adulto, comecei a me sentir incomodado com aquela situação de ver os bichos que tanto gosto numa gaiola e travei certo embate particular entre a emoção - que não queria se afastar das aves - e a razão, que me dizia que aquilo não era correto. Aos poucos entendi que se tratava de egoísmo de minha parte e vi o quanto foi difícil mudar hábitos de uma vida inteira até abolir por completo essa prática. Lá se vão quase 20 anos e de positivo desse período foi o conhecimento adquirido do comportamento de muitas espécies que gostava. Por muitos anos sentia falta da proximidade com as aves, até que por volta de 2006 conheci a atividade de birdwatching através do COA.RJ (Clube de Observadores de Aves do Rio de Janeiro) e no ano seguinte já estava com meu equipamento fotográfico. Desde então passei a participar de workshops, cursos e eventos ligado às aves em liberdade, visitas à RPPNs e Parques, além de adquirir livros diversos e passar a me interessar pela ecologia de cada espécie. Da atividade de propaganda, busquei uma mudança profissional, me formando em Tecnólogo em Gestão Ambiental e atuei na área de Licenciamento Ambiental. A pesquisa e o estudo das aves de Macaé estimularam o desenvolvimento desse website, como forma de partilhar o conhecimento adquirido, assim como o desenvolvimento de outros trabalhos que virão pela frente.

Paulo Tinoco



Todas as fotos (*), Layout e conceito do website por Paulo Renato M. Tinoco
(*) Exceto aquelas fotos que vierem acompanhadas do nome do autor.
2013 - Todos os direitos reservados